sexta-feira, 29 de maio de 2015

Fazer-se silêncio..


          Acho engraçado alguém ter que gritar para se fazer ouvir. Não adianta de nada, é bater na porta sem ter ninguém em casa, é mastigar o chiclete já sem sabor, é um querer que não vai acontecer. Chega a hora em que é preciso, fazer-se silêncio perder a fala, a presença, mudar de cor. Em vês do habitual café, água morna. Olhei o relógio, já não contava os minutos da chegada, porque já houvera despedida. Eu chorei não nego, mas do que adianta insistir, a parede não vai se mover o destino não vai mudar, e eu já não podia mais esperar.

      Como brisa que chega anunciando o inverno, olhei de relance o que meu coração insistia em querer, mas guardei nas mais seguras caixas da alma o amor. Impossível de extingui-lo, então terei de esquecê-lo.  Eu relinchei feito égua brava, que não quer ser dominada, mas mostrei meu galope em confiança ao cavaleiro, que a de ser Rei um dia. Porém preferi-o partir a procura de novas terras, caminhos, destinos. Eu já sabia, ele não me ouvia, como então a de me amar algum dia?!


Tauana Raio de Luar
#tauanaraiodeluar