terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Sorriu seus dentes brancos, jogou um charme, mas disse que não.


     Sentada no bar, eu a via, cabelos presos mais desalinhados. Vestia um vestido preto, mas usava um tênis surrado, de maquiagem bem feita, de nariz empinado. Fui me instigando, com o desajeitar e elegante que ela tinha. Pedia todos os drinques do bar, não os repetia, e só conversava com o garçom.
     Ate vi um fulano a tirando para dançar, sorriu seus dentes brancos, jogou um charme, mas disse que não. Percebi-a indo embora deixando uma gorjeta generosa, mas de olhar triste. Perguntei ao garçom qual era o segredo da moça, sempre sozinha, fumando um ou dois cigarros, sem nem uma formalidade.

     O rapaz me dizia que ela vivia, e era feliz, o retruquei dizendo que havia tristeza no seu olhar, ele me sorriu e me serviu uma bebida. Não me disse mais nada aquele dia, mas me deixou instigado a voltar ao bar, algo me dizia que amanha a veria.

Tauana Raio De Luar
#tauanraiodeluar