quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Eu tentei...


    Esperando o ônibus de minha vida passar, sentada de poucas malas e coração partido. Contentando-me com a brisa gelada em pleno vazio. Um tal moço acenava de uma das esquinas, longe o suficiente pra não me impedir de partir, e perto para ver o amor dizer adeus. Adentrei no meu destino, em prantos sem olhar para trás, consegui ouvi-lo indagar. "Quando é que você vai voltar?". Como um amor que se perde, deixo para o destino de novo juntar.
     Levei as cartas de amor já amaçadas de tanta leitura, e penar. Pelo caminho nas paradas que o destino sempre a de dar, fui às abandonando. Afinal se me fui embora, só eu ei de esquecer o passado. Á amores que são feito tatuagens, não se apagam nem com o tempo. Às vezes eu sonhava lembrando-se do moço, mas já não sabia o tom de sua voz, o calor no tocar, e o coração de pulsante vermelho, foi se esvaindo feito gelo.
     Foi um adeus só de olhares. Pensei em voltar, mas a cada recaída cortava-me os pés e a alma. Aqueles sentimentos de para sempre, nada mais é do que clichê barato, com apenas um fim. Um ponto em que não a mais desculpas. Porém toda noite no fim a de amanhecer o dia. Eu tentei, mas a vida é feita de erros, tempestades, curvas, e partidas. 


                   Tauana Raio De Luar
                    #tauanaraiodeluar