quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Os conselhos que dó, não os faço.


Das coisas que digo, e aconselho certamente não os faço. Como se comigo, não fosse à mesma coisa. O amor acaba, e ponto. Sem choros e devaneios. Mas a pele lembra saudade. O bom dia de quaisquer traz um sorriso largo em mim. Logo depois um pranto tremendo. Nunca soube amar, sem pedir, sem deixar tudo de mim. 

Mas como todo ciclo as coisas acabam, e quando ando pelo mesmo caminho, já não encontro a mesma calçada, as mesmas pessoas, mas relutante continuo a ser eu. Nem tudo que queremos, podemos, que clichê mais apropriado. Ele se foi cheio de si, e eu fiquei sem saber pra onde ir. Errando mesmo tendo acertado, mas como lhes disse no inicio os conselhos que dó, não os faço. 



                    Tauana Raio de Luar
                   #tauanaraiodeluar